O exagero da importância que damos à comida e o desinteresse que prestamos ao alimento é a principal razão por nos sentirmos tão vazios de Essência. 

É importante seguirmos por uma reeducação alimentar global e serena o que não se deve impor ou substituir à responsabilidade de ser seguido individualmente por um profissional qualificado. 

Quando falamos em ALIMENTAÇÃO AYURVEDA falamos de uma forma consciente de entender a relação que temos com o Mundo e com a própria existência. 

  • Quem somos?
  • Que partes de nós queremos alimentar?
  • Que partes do Mundo queremos saborear?
  • Que partes do Mundo nos abstemos de manter por perto ou dentro de nós?
  • Quais são as minhas reais necessidades? 

Respeito o Mundo e a mim mesma respondendo às minhas necessidades ou sou vítima dos meus desejos e aversões? 

Comer deve ser visto, antes de mais, como um acto sagrado de alimentar a expressão de vida que sou através da entrega de outras formas de vida, num ciclo externo de transformação da forma.

O QUE COMEMOS É…
… o potencial bruto do que somos.

A FORMA COMO COMEMOS É…
…a energia que enaltece.

A DIGESTÃO…
…sublima o alimento naquilo que somos. 

Percebes agora a importância de sacralizar o alimento?

Sacralizar o alimento vai muito além de entoar um mantra ou dar as graças. 

Sacralizar um alimento acontece a partir da tomada de consciência sobre a escolha e confecção do alimento e a promoção de SATWA para alimentar a força de acção e coragem necessária à mudança que trará a firmeza, paz e serenidade que o corpo e a mente equânime necessitam. 

Essa verdadeira forma de Ser e Estar em plena ECOLOGIA PESSOAL define a verdadeira Saúde.

Agora que já percebeste o princípio do alimento é importante perceberes o dilema entre o alimento que nutro e o alimento que envenena.

 

O resultado do alimento que envenena tem o nome de AMA, a Raiz da Doença.

Ama é, para a Ayurveda, considerado a raiz da doença e é o resultado de não digestão e/ou má digestão de tudo o que chega ao nosso corpo através dos 5 sentidos. Seja alimento denso ou mais subtil. 

Ama inclui também a digestão de emoções (Ama mental). 

Quando o alimento, seja de que fonte for, chega ao organismo e não é corretamente digerido ele fica estagnado no nosso corpo fermentando e produzindo biotoxinas – Ama, que influenciam a nutrição e decorrente funcionamento das nossas células, tecidos, orgãos podendo levar ao aparecimento de doenças. Daí ser tão importante reduzir o Ama.

Quando Ama é digerido, o Agni – fogo digestivo melhora, e todo o corpo funciona em plenitude podendo sublimar as causas de sofrimento denso e permitindo aceder a outros níveis de consciência.

Como isto acontece?

Quando o Agni funciona correctamente, as toxinas não permanecem no corpo; a mente e os sentidos são mais aguçados, pensamentos mais claros e decorrente dessa harmonia sentes uma boa energia vital. 

Sabes que estás em desequilíbrio se existe rigidez mental, letargia ou sonolência, alterações do sistema gastro-intestinal como distensão abdominal, diarreia ou obstipação.

Em caso de desequilíbrio, o sistema digestivo vai sentir as suas consequências, visto que leva a um Agni comprometido. A digestão fica afectada, o que tem como consequência a acumulação de componentes mal digeridos no intestino, que poderá afectar outros orgãos, dando origem a doenças graves. 

O Agni alterado pode ser muito quente, levando inclusive a infecções, muito fraco, não conseguindo cumprir as suas funções conforme necessário, ou flutuante (muito quente num momento, muito frio mais no outro), mas seja qual for a alteração em Agni, esta leva ao aparecimento de Ama.

Lara Lima
Fundadora do método BmQ
Sócia e Formadora da AMAYUR – Associação Portuguesa de Medicina Ayurveda (amayur.org)
Formadora reconhecida pela YOGA ALLIANCE
Terapeuta Ayurveda Sénior
Doula Ayurveda
Professora Sénior de Yoga
EnglishPortugueseSpanish