ALIMENTARMO-NOS CORRECTAMENTE TEM UM IMPACTO MAIS SIGNIFICATIVO PARA SUSTENTAR O SISTEMA IMUNITÁRIO DO QUE A TOMA DE SUPLEMENTOS.

“Enquanto Seres Vivos somos recriados a todo momento, em cada refeição. Tomar responsabilidade pelo que ingerimos revela uma oportunidade de melhorar a nossa saúde.”

 

No Ayurveda, cada pessoa apresenta um funcionamento metabólico diferente, digere e assimila os alimentos de maneira diferente. Assim, a alimentação para ser equilibrada, deve estar em harmonia e respeitar o metabolismo individual. Quando isso acontece a alimentação assume um caráter preventivo e terapêutico que mantém o corpo em homeostasia sem necessidade de ingestão de qualquer tipo de suplemento.

Como foi já referido, a alimentação Ayurvédica não é um protocolo, uma moda, ou uma dieta especifica mas uma consciência alimentar que questiona o que se consome, quando se consome e como se consome consciente da resposta do corpo a diferentes alimentos e preparações. Para assegurar o equilíbrio nutricional na alimentação Ayurveda, uma refeição Ayurveda deve conter os 6 sabores (doce, salgado, ácido, amargo, picante e adstringente) e deve ser consumida em atmosfera calma para melhor digestão e absorção dos nutrientes ingeridos

A alimentação Ayurveda preconiza acima de tudo uma alimentação satwica que preconiza o recurso a alimentos de origem natural, com produtos regionais preferencialmente orgânicos e próximos da sua forma original excluindo alimentos industrializados, enlatados, pasteurizados, aditivos alimentares, açúcar refinado e produtos químicos. Só por isto, já se percebe a questão dos suplementos dentro do Ayurveda.

Com relação às restrições alimentares, a alimentação Ayurveda não faz referência a alimentos específicos, tendo em conta que todos os alimentos são de origem natural, seja ela vegetal ou animal, mas sim à qualidade, “gunas”, dos alimentos.

Alimentos Tamásicos (exemplo: a carne, os ovos, a cebola, o alho, os cogumelos e fungos e as comidas fermentadas) são alimentos que tendem a gerar apatia, inércia, confusão, ignorância e erro após ingestão e digestão. Logo devem ser evitados por quem já tem tendência mental e física, ou está a passar por um momento melancólico ou depressivo na sua Vida.

Alimentos Rajásicos (exemplo: café, chocolate, chá, chili, comidas demasiado temperadas) podem acentuar após ingestão dores, irritabilidade e inquietudes e por isso não são recomendados a quem esteja a sofrer de inflamações, excesso de acidez ou stress.

Apesar da alimentação Ayurveda defender uma dieta Satwica, todos os alimentos são importantes sendo a quantidade e forma de cozinhar diferenciada tendo em conta as idiossincrasias do indivíduo e do momento. Ou seja, a alimentação Ayurveda defende acima de tudo uma consciência pessoal que se reflete no cuidado e dedicação com a alimentação.

Com relação ao contexto clínico do Ayurveda, o recurso a suplementos acontece nas situações em que o organismo se mostra em desequilíbrio e necessita de um auxilio extra à dieta por um tempo especifico mas sempre acompanhado de uma REEDUCAÇÃO ALIMENTAR para harmonizar os humores biológicos (Doshas), e estabelecimento de uma rotina diária – DINACHARYA – que inclui meditação, exercícios e horários específicos, para além de outras questões especificas à situação de cada um.

Formação Terapeuta de Medicina Ayurveda
Lara Lima
Fundadora do método BMQ, formadora da AMAYUR
Formadora reconhecida pela YOGA ALLIANCE
Terapeuta Ayurveda Sénior
Professora Sénior de Yoga
EnglishPortugueseSpanish